Sobre a Luísa

Luísa Pacheco trabalha como cenógrafa, diretora de arte, em publicidade, cinema, teatro, em museografia há mais de três décadas. Vive em Lisboa, Portugal, depois de ter estudado e trabalhado em Londres. Mantém atividade internacional nas várias áreas de projetos, selecionando e coordenando equipas multidisciplinares, sempre prontas para começar um novo projeto.

Saber mais | Curriculum Vitae

Luísa Pacheco nasceu em Lagos, Portugal e formou-se em design de moda IADE, Instituto de Arte e Design, em Lisboa.

Inicia a sua carreira com trabalhos como cenógrafa e figurinista em teatro e em moda, com várias performances nas Manobras de Maio e, para televisão, desenha os figurinos e adereços para o programa infantil Ícaro (RTP).

Em 1991, mudou-se para Londres onde concluiu o MA em Theatre Design na Wimbledon School of Art, University of the Arts, com a apresentação de uma performance criada e dirigida por si, Law of Repression, com a colaboração de Paula Sá Nogueira e de um elenco.

Neste período, começa a sua obra e carreira na joalheria, tendo criado colecções para lojas seleccionadas em Londres , como American Retro, Ruth Aram Shop, Ellectrum, Voyage, Sign of the Times. Destaca-se neste período, a participação na London Fashion Week, o cover styling da Dazed&Confused. Paralelamente, no teatro, participou em encenações de Michael Benenson, Padraig Tolan. No cinema, sublinha-se o crédito como Art Director Assistant no filme SaintEx de Anand Tucker e a série da BBC Crucial tales.

Depois de Londres, regressou a Lisboa. Aqui criou, em 2007, o AtelierZer0 no qual, como directora criativa, esteve à frente de uma equipa multidisciplinar de profissionais de diferentes áreas criativas e técnicas. Continuou a desenhar joalharia para António Tenente, Loja da  Assembleia da República, Pedra Dura e expôs no Teatro da Luz.

A Luísa tem experiência profissional em design de produção, direcção de arte, cenografia e projetos visuais em diversas áreas criativas, tendo desenvolvido trabalhos para teatro, cinema, televisão, filmes publicitários, exposições e design para museus e espaços públicos e privados. Também trabalha como designer de joalharia e foi professora da disciplina de design de produção, na Universidade Lusófona em Lisboa. Nesta mesma Universidade, foi-lhe atribuído em 2014 o grau de Especialista de Reconhecida Experiência e Competência Profissional.

A sua vasta experiência e portfolio incluem trabalhos com os realizadores Steve Rogers, Nick Gordon, Manu Cossu, Chris Smith, Fredik Bond e Andreas Nilsson, apenas para citar alguns. Ou os Diretores de Fotografia; Hoyte van Hoytman, Mandy Walker, Ben Seresin, Barry Ackroyd, Javier Aguirresarobe. As marcas Kenzo –LVMH, Old Spice, Natural Diamonds, Vodaphone, Skymobile, Oppo, Samsung, Heineken, H&M, Zalando, Jeep, VW, Alpha Romeo, Suzuki, Nissan, Volkswagen, contam com o nome da Luísa em alguns dos seus filmes publicitários.

Para a Netflix, em 2019, fez a Direcção de Arte da série The Disappearance of Madeleine McCann.

De salientar no cinema e teatro, alguns nomes com quem trabalhou, Manuela Viegas, realizadora, o encenador António Pires do Teatro do Bairro e Rosa Coutinho Cabral.

Na Museografia,  são particularmente relevantes os seus projectos para o Pavilhão do Conhecimento, para o Centro Ciência Viva de Lagos, do Lousal, o Centro Exploratório de Coimbra e o projecto de  concepção do  Centro Padre Himalaia em Arcos de Valdevez . Destaque para o seu

trabalho para o Museu dos Coches, um dos mais prestigiados de Portugal.

Internacionalmente, tem implementado projectos em Londres, Luanda e Shangai.

Vive em Lisboa onde dirige o atelier com o seu próprio nome. É nesta cidade, na sua casa na colina do Castelo, que planta chás e aromáticas, num pequeno jardim, lugar de paz e contacto com a natureza fundamental para a reflexão e investigação dos vários projetos de linguagem visual. Aqui nasce o diálogo entre cores, materiais, texturas que leva para a pintura e joalharia. As disciplinas juntam-se num alfabeto de expressão e comunicação, numa linguagem de reflexão e criação. 

Ao longo dos anos foi sempre utilizando e reutilização materiais para fins de expressão plástica reutilização visível tornou-se um processo consciente e que enquadra as contemporâneas questões ambientais, agora conscientes e integradas no processo de conceção, design, construção e implementação dos projetos.